Divas da Música

Música (do grego μουσική τέχνη - musiké téchne, a arte das musas) constitui-se basicamente de uma sucessão de sons e silêncio organizada ao longo do tempo. É considerada por diversos autores como uma prática cultural e humana. Atualmente não se conhece nenhuma civilização ou agrupamento que não possua manifestações musicais próprias. Embora nem sempre seja feita com esse objetivo, a música pode ser considerada como uma forma de arte , considerada por muitos como sua principal função .



Divas e Música
Diva é aquela mulher que, Maravilhosa que se destaca de todas as outras. Destacamos aqui Divas da Música ,Vozes femininas envaidecem, embeleza a melodia das Músicas com suas graciosidades pessoais,suas Extensões vocais Femininas,ou simplesmente sua arte na Música, a magia que elas envolve certas músicas e a relação que se estabelece com elas juntamente a técnica ea sensualidade.

Videos,Biografia e Fotos das divas da música

Videos,Biografia e Fotos das divas da música

A-Z AOL Music Video Search

Qual sua Cantora preferida Internacional?

Qual a Sua Cantora Preferida Nacional?

As 10 primeiras vencedoras da 1º Enquete Qual sua Cantora Favorita

As  10 primeiras vencedoras da 1º Enquete Qual sua Cantora Favorita

Joss Stone 1º Lugar

Joss  Stone  1º Lugar
69 Votos

Tarja Turunen 2º Lugar

Tarja Turunen 2º Lugar
68 Votos

Simone Simons 2º Lugar

Simone Simons 2º Lugar
68 votos

Sharon den Adel 2º Lugar

Sharon den Adel 2º Lugar
68 Votos

Cristina Scabbia 2º Lugar

Cristina Scabbia 2º Lugar
68 Votos

Amy Lee 3° Lugar

Amy Lee 3° Lugar
67 Votos

Floor Jansen 4° Lugar

Floor Jansen 4° Lugar
66 Votos

Alicia Keys 5°Lugar

Alicia Keys 5°Lugar
64 Votos

Fergie 6° Lugar

Fergie 6° Lugar
63 Votos

Amy Winehouse 7° Lugar

Amy Winehouse 7° Lugar
58 Votos

Laura Pausini 8º Lugar

Laura Pausini 8º Lugar
55 Votos

Alanis Morissette 8° Lugar

Alanis Morissette 8° Lugar
55 Votos

Norah Jones 8° Lugar

Norah Jones 8° Lugar
55 Votos

Celine Dion 9º Lugar

Celine Dion 9º Lugar
50 Votos

Carrie Underwood 9º Lugar

Carrie Underwood 9º Lugar
50 Votos

Kelly Clarkson 10º Lugar

Kelly Clarkson 10º Lugar
47 Votos

As 3ª Vencedoras da Enquete Qual Sua Cantora Favorita Nacional

As 3ª Vencedoras da Enquete Qual Sua Cantora Favorita  Nacional

Liriel domiciano 1º Lugar

Liriel domiciano 1º Lugar
41 Votos

Maria Rita 1º Lugar

Maria Rita 1º Lugar
41 Votos

Marisa Monte 2º Lugar

Marisa Monte 2º Lugar
40 Votos

Vanessa da Mata 3° Lugar

Vanessa da Mata 3° Lugar
34 Votos
A voz mais aguda atualmente pertence à brasileira Georgia Brown, que emite até o Sol 10, também se torna inaudível ao ouvido humano e não é emitida por nenhum tipo de instrumento, sendo captada apenas por frequenciador.
No repertório clássico a nota mais aguda para um soprano é um Sol5 na obra I Popoli di Tessaglia, de Mozart.
O contralto Clara Butt emitia um Dó2, exatamente como Pauline Viardot.
A poderosa Yma Sumac emitia um Si bemol 1.
O Contralto Marian Anderson, em uma gravação de Schubert, Der Tod und das Mädchen, emite um Dó#2.
Soprano é o nome do registro da voz (ou naipe) feminina mais aguda.
A voz de soprano normalmente recobre a extensão do Dó3 ao Dó5 (os números correspondem às oitavas do piano). Em termos gerais, corresponde à faixa de emissão do tenor, no caso masculino, e é o mais alto, ou seja, o mais agudo dentre os registros femininos, distinguindo-se desse modo das vozes de mezzo-soprano e de contralto.
Usualmente, apenas adultos do sexo feminino são capazes de emitir confortavelmente notas na altura correspondente à faixa de um soprano, pois as pregas vocais dos homens engrossam após a puberdade, produzindo vozes mais graves. Por meio de técnica especial que envolve o emprego do falsete, alguns cantores líricos ainda se especializam em papéis de soprano, e são, por isso, denominados sopranistas. As vozes infantis são, por vezes, denominadas sopraninos.
Na ópera, existem diferentes classificações para sopranos, que levam em consideração não apenas a altura e a coloração da voz, mas também certas habilidades técnicas exigidas para desempenhar certos papéis. Nas escolas francesa e alemã, são classificadas de um jeito diferente usando classificações especiais e classificando por categorias, que chega a abranger de dois a tres timbres diferentes. As classificações por timbres são:
Soprano ultra leggero
Soprano leggero
Soprano lírico-leggero
Soprano lírico
Soprano lírico-spinto
Soprano lírico-dramático
Soprano dramático
Soprano de carácter
Soprano Popular
Obtido em "http://pt.wikipedia.org/wiki/Soprano"

M de Mulher

Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.Madalenas ou Marias.Marinas ou Madonas.
Elas são Manhãs e Madrugadas.Mártires e Massacradas.Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.
Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.E são Marinheiras e Magníficas.
Mimam Mascotes.Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.Marcam suas Mudanças.
Momentâneas ou Milenares, Mudas ou Murmurantes,Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas,Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,Manicures, Maiores, Menores, Madrastas,Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,Melodiosas, Modernas, Magrinhas.São Músicas, Misturas, Mármore e Minério.Merecem Mundos e não Migalhas.Merecem Medalhas.São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.



Mulher...Tens sete sentidos
Sete chaves de poder Mulher...
Mística flor, pétala serena
Seiva suave de uma árvore suprema Indecifrável mulher... Força felina e manhosa Mulher frágil e poderosa Sobretudo mulher...
Um sopro de vida no mundo Alma do sonho e da dor
És assim quase perfeita
Perfeita dádiva do Criador...

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Fergie
















Stacy Ann Ferguson, conhecida como Fergie, (Los Angeles, 27 de Março de 1975) é uma cantora e atriz norte-americana. Ficou mundialmente famosa por ser a voz feminina do grupo de Hip-hop Black Eyed Peas. Fergie entrou no grupo em 2003 no álbum Elephunk, antes fazia parte do grupo Wild Orchid. Em 2006, lançou seu primeiro álbum solo, intitulado The Dutchess, que lhe rendeu sucesso absoluto no mundo. Ferguson é filha de Terri Gore e Patrick Ferguson. Ela tem uma irmã, Dana, que é atriz. Seus pais eram católicos e trabalhavam como professores em uma escola, e Ferguson teve alguns problemas com o catolicismo. Durante sua juventude, ela se envolveu com gangues mexicanas em Hacienda Heights. Ferguson estudou na Glen A. Wilson High School. Ferguson foi membro do trio feminino Wild Orchid, formado por ela, Stefanie Ridel e sua parceira do Kids Incorporated, Renee Sandstrom. Wild Orchid lançou dois álbuns, mas após completarem seu terceiro álbum, sua gravadora se recusou a lançá-lo, e ela então abandonou o grupo um tempo depois. Sua decepção com o Wild Orchid a fez experimentar metanfetaminas crystal. Em setembro de 2006, Fergie deu uma entrevista à revista Time sobre ter conseguido se livrar do mundo das drogas. "Foi o namoro mais difícil que tive que terminar" ela disse. "É a droga que é o problema. Mas em primeiro lugar o porquê de você começar a usar é o que interessa. Muitos que a usavam eram atores infantis; Eu aprendi a controlar meus sentimentos." [4] Em 2003, Ferguson assumiu os vocais do grupo musical Black Eyed Peas, preenchendo a vaga deixada por Kim Hill, que havia abandonado o grupo em 2000. Ferguson gravou cinco canções com o grupo antes de ser convidada para entrar no grupo definitivamente. A adoção dela à banda, que tem feito um enorme sucesso desde então, ajudou o grupo a entrar rapidamente na cultura mainstream do povo. Após dois álbuns de sucesso com o Black Eyed Peas, Fergie deu início a sua carreira solo. Seu primeiro álbum, lançado em 19 de Setembro de 2006, foi entitulado The Dutchess. O nome do álbum é um trocadilho com o título de Sarah Ferguson, a Duquesa de York (Dutchess significa Duquesa), com quem Fergie compartilha um sobrenome popular. A carreira solo não significou sua saída do Black Eyed Peas, já que Fergie pretende continuar até o fim no grupo, alternando entre as duas carreiras. The Dutchess é similar ao estilo do Black Eyed Peas, principalmente porque will.i.am foi o produtor executivo do álbum. Fergie atualmente já lançou cinco hits de The Dutchess, com "London Bridge", "Glamorous" e "Big Girls Don't Cry" tendo se tornando singles número um na parada norte-americana Billboard Hot 100. Seu segundo single, "Fergalicious", chegou à posição #2 da parada. "London Bridge" alcançou a posição #2 na United World Chart, enquanto "Fergalicious" e "Glamorous" conseguiram alcançar a posição #4. "Big Girls Don't Cry" foi o primeiro single a alcançar a posição #1 da parada mundial e também foi escolhida pela Billboard como a canção mais ouvida no mundo durante o ano de 2007. O quinto single do álbum foi "Clumsy", que foi oficialmente lançada em 25 de Setembro de 2007, alcançando a posição #5 na Billboard Hot 100 e a posição #6 na United World Chart. O último single do albúm é "Finally", que será lançado nos EUA e na Europa. No hemisfério sul, mais precisamente na Austrália e no Brasil, o sexto single será "Here I Come". Como atriz infantil, Fergie atuou no programa televisivo Kids Incorporated durante alguns anos junto com Renee Sandstrom, que se tornou junto com ela membro do grupo Wild Orchid. A imagem de boa menina de Ferguson naquele programa entra em contraste com a imagem "gueto-funk" que ela começou a cultivar recentemente. Ferguson interpretou a voz de Sally Brown em dois especiais de Charlie Brown: It's Flashbeagle, Charlie Brown (1984), e Snoopy's Getting Married, Charlie Brown (1985). Ela também fez a voz de Sally na versão de 1985 de The Charlie Brown and Snoopy Show. Em Julho de 2005, Fergie fez uma participação no especial da Rocket Power, Reggie's Big Beach Break, na Nickelodeon; ela fez a voz de uma estrela pop fictícia chamada Shaffika. Fergie voltou a atuar em 2006, aparecendo como personagem secundária em Poseidon. Ela depois apareceu como uma das protagonistas do filme de 2007 Grindhouse.





video

Barbra Streisand














Barbra Streisand, nome verdadeiro de Barbara Joan Streisand, (Brooklyn, Nova Iorque, 24 de abril de 1942) é uma cantora, compositora, atriz, diretora e produtora cinematográfica estadunidense. Sua vocação artística começou a se manifestar aos catorze anos, quando foi com uma amiga ao teatro assistir “O diário de Anne Frank”. Foi um desejo imediato de fazer algo na área. Logo começou a se apresentar cantando em clubes e a fazer participações em programas de televisão. Seu talento como cantora se impunha. Trocou seu nome pela versão artística “Barbra” e se lançou de cabeça no mundo do show bussines. Na sua primeira aparição na Brodway, com a peça “I can get it for you wholw sale” conheceu seu primeiro marido, o ator Elliot Gould e com ele teve um filho, Jason. Sua carreira decolou definitivamente. Participava com destaque em shows televisivos em horário nobre e transmissão nacional. Sua estréia no disco também não foi menos bem sucedida: seu primeiro disco, “ The Barbra Streisand Album”, lançado em 1963, faturou dois prêmios Grammy. Paralelamente à carreira musical, Barbra se dedicou ao cinema com o mesmo entusiasmo e sucesso. Sua estréia foi com o musical “Funny Girl”, em 1968, e sua brilhante atuação lhe rendeu um Oscar. Ela foi ainda a primeira mulher a produzir, dirigir, escrever e atuar em um filme, o longa “Yentl”, de 1983. Com o mega-sucesso “Nasce uma estrela”, uma nova façanha: Barbra ganha um Oscar como compositora pela canção “Evergreen”. Barbra Streisand foi a única artista a ganhar todos os prêmios possíveis: Oscar, Grammy, Tny, Emmy, Golden Globe, Cable Ace e muitos outros. Em 1998 casou-se com o ator e diretor James Brolin e desde então se diz disposta a levar uma vida tranqüila em família. Em 2005 a cantora colocou nas lojas uma série de DVDs reunindo todos os especiais protagonizados por ela na televisão. O material presenteia o público com programas como “My Name Is Barbra”, de 1965, “Color Me Barbra”, de 1966, “The Belle of 14th Street” de 1967, “Barbra Streisand: A Happening in Central Park” de 1968 e “Barbra Streisand... and Other Musical Instruments”. Barbra Streisand iniciou sua carreira em 1962 com a peça da Broadway "I can get it for you wholesale". Seu primeiro disco, "The Barbra Streisand Album", foi lançado em 1963 e a premiou com dois Prêmios Grammy. Barbra possui uma voz poderosa e imprime uma interpretação dramática às músicas que grava, especialmente nas baladas românticas. Ela já fez duo com artistas como Donna Summer e Barry Gibb. A estréia no cinema foi em 1968, com o musical "Funny Girl", e sua atuação no mesmo lhe rendeu o Oscar de melhor atriz. Foi indicada também pelo filme "Nosso Amor de Ontem", em 1973. Ela também ganhou o Oscar de melhor canção original pelo filme "Nasce uma Estrela" em 1976. Streisand é uma das poucas estrelas do show business a conquistar prêmios em diversas áreas da arte - Oscar (cinema), Grammy (música), Tony (teatro) e Emmy (televisão). Ela foi também a primeira mulher a simultaneamente produzir, dirigir, escrever e atuar em um filme ("Yentl", de 1983). Ela já vendeu 71 milhões de álbuns, tornando-se a cantora que mais vendeu discos e cds nos EUA. Casou-se em 1964 com o ator Elliot Gould com quem teve seu único filho, Jason, mas o divórcio veio logo depois que conquistou o Oscar de melhor atriz. Depois de vários romances, a atriz e cantora se casou em 1998 com o ator e diretor James Brolin.




video

Cher
















Cher, nome artístico de Cherylin Sarkisian LaPiere, (El Centro, 20 de maio de 1946) é uma cantora, atriz, produtora, diretora, escritora, compositora e apresentadora dos Estados Unidos da América. Nascida no sul da Califórnia, no condado de Imperial, filha de Georgia Holt (nascida Pelham), uma aspirante a atriz e modelo, de ascendência inglesa, arménia, alemã e cherokee. Seu pai é John Sarkisian, um armênio refugiado. Cher foi predominantemente criada por sua mãe, uma vez que seus pais se separaram quando ela ainda era muito pequena. Algum tempo depois, Georgia se casa com Gilbert LaPiere, que mais tarde adota Cher e lhe dá seu sobrenome. Cher nunca completou o colegial.Não gostava de estudar,queria mesmo era ser uma grande atriz. Começou a carreira aos dezesseis anos com o então marido Sonny Bono, que conheceu em uma noite no Aldo's Coffe Shop, onde celebridades costumavam se reunir para fazer um "Happy Hour". Foram morar juntos e logo após formaram a dupla Sonny & Cher, conquistando o primeiro lugar com o hit "I Got You Babe". Fizeram também um programa semanal de comédia juntos chamado "The Sonny and Cher Comedy Hour". Cher teve sua primeira filha com Sonny, Chastity Sun Bono. Anos depois, lançou-se como artista solo obtendo vários hits por si só: "All I Really Want To Do" (cover de Bob Dylan), "Bang-Bang" (mais tarde regravada por Nancy Sinatra pra trilha de Kill Bill). Na mesma época, junto a Sonny Bono tentou se lançar como atriz no filme "Chastity", que foi um fracasso e a fez enfocar mais esforços da música, o que rendeu "Gypsies, Tramps & Thieves", "Half-Breed" e "Dark Lady" e três lideranças nas paradas da Billboard entre 1971 e 1974. A música "Take Me Home" foi a volta por cima depois de um período conturbado no qual Cher estorou como apresentadora de TV no programa "The Cher Show". Fracassou na música com os álbuns "Stars", "I'd Rather Believe In You" e "Cherished", divorciou-se de Sonny, por problemas pessoais entre eles e dois dias depois casou-se com o roqueiro Gregg Allman da banda "The Allman Brothers Band". Gregg e Cher gravaram um disco chamado "Allman and Woman - Two the Hard Way", que também foi um fracasso, em meados de 1978. Mas uma volta por cima maior ainda aguardava por Cher. Após uma falida tentativa de ter uma banda de "Hard Core" (na época batizada de Black Rose, que nem teve muita atenção da mídia), em 1983, sob contatos pessoais de sua mãe (que também é atriz) com diretores famosos, Cher foi escalada para filmar e atuar na Broadway no filme "James Dean: O Mito Sobrevive". Depois do bom desempenho, foi chamada para fazer "Silkwood - O Retrato de uma Coragem", ao lado de Meryl Streep e Kurt Russel, que rendeu sua primeira indicação ao Oscar como melhor atriz coadjuvante em 1984. Depois fez o excelente e comovente "Marcas do Destino", ao lado de Sam Elliot. Cher brigou com o diretor do filme Peter Bogdanovich, por confundi-la com sua personagem e tratá-la como tal, mas Cher soube lidar com isso, assim como fez com outras coisas que muitas vezes pareciam obstáculos gigantes em seu caminho. As canções "I Found Someone" (do comercial do Hollywood) e "We All Sleep Alone" (em parceria de muito sucesso com Jon Bon Jovi e Richie Sambora) marcaram a retomada de sucessos musicais para Cher, quando em 1987 lançou o álbum "Cher" e chegou aos primeiros lugares das paradas internacionais agora à'lá Metal-Mama. Outras canções como: "If I Could Turn Back Time" (o primeiro clipe censurado pela MTV), "Just Like Jesse James", "The Shoop Shoop Song" (do filme Minha Mãe É Uma Sereia), "Save Up All Your Tears" e sua versão 2ª de "Love Hurts" (da trilha da novela Vamp) são clássicos da fase musical em que Cher estava passando. O auge veio em 1987, quando recebeu o Oscar de Melhor Atriz pela atuação em Feitiço da Lua como Loretta, uma descendente de italianos que, prestes a se casar, apaixona-se pelo cunhado (Nicholas Cage). Além desse prêmio, foi aplaudida pela bela atuação em Sob Suspeita e As Bruxas De Eastwick. Em meio a isso tudo, mais tumultos... A vida pessoal de Cher era alvo fácil e seu então namorado, Rob Camilleti, 20 anos mais novo, rendeu muita matérias para os jornalistas dos tablóides norte-americanos. Certa vez, tentando se esquivar de paparazzis em frente sua cara, acabou agredindo um - o que o levou para o tribunal (e serviu de cena para o clipe "Heart Of Stone", de 1989). Em 1991, Cher teve uma crise de stress e teve que se afastar dos palcos em meio à sua turnê "Love Hurts" (1991-1992). Contudo, assim que retomou as atividades, mostrou que não perdera o brilho conquistado com o Oscar e o sucesso de seu mais novo filme "Minha Mãe É Uma Sereia", seguido de sua participação em "O Jogador", de Robert Altman. Num ataque de boa vontade, Cher se ofereceu para fazer o comercial de um produto para cabelos de um então amigo dela. O que resultou num imenso desastre para a sua carreira... O que a trouxe de volta com força total (mais uma vez) foi o lançamento de seu maior hit "Believe", que a levou ao topo em todos os países da Europa, EUA, Oceania e no Brasil, fazendo dela a mulher mais velha a ter um hit #1 nas paradas norte-americanas e entrar para o Guiness Book, além de bater recordes de vendagens por todo o mundo, como desbancar Whitney Houston e o tema do Guarda Costas "I Will Always Love You" (1992) passando da casa dos sete milhões de cópias vendidas na Inglaterra. Recebeu seu primeiro e único Grammy Award pela Melhor Gravação Dance de 1999. Como se não bastasse, isso tudo em meio ao trauma da morte de Sonny Bono no dia 09 de janeiro de 1998 num acidente de esqui. Depois da turnê "Do You Believe?", Cher gravou o albúm "Still" que por ser negado pela Warner Bros que alegou que não era um estilo que venderia foi vendido apenas pela internet com o novo nome, peculiar ao caso: "Not.com.mercial", resultado: o albúm se tornou o mais vendido da história da internet. O seu mais recente álbum em estúdio foi lançado no final de 2001, "Living Proof" que rendeu sucessos como "The Music's No Good Without You", "(This Is) A Song For The Lonely" (música que virou o símbolo dos EUA após o ato terrorista do dia 11 de setembro de 2001), "A Different Kind Of Love Song", "Love One Another" e outros. Em 30 de abril de 2005 Cher se despediu dos palcos com o último show da interminável turnê "Farewell Tour", contabilizando 5.880.726 fãs e mais de 692 milhões de dólares em mais de 300 espetáculos, se tornando a turnê mundial mais lucrativa da história da música, sendo que em turnê norte americana Madonna detém o recorde segundo o Guiness Book 2007. Em 2007 Cher foi capa da revista Japonesa "Chromme Hearts Magazine" e falou pela primeira vez sobre seu próximo albúm, Cher diz se tratar de uma nova reinvenção de sua carreira, o albúm será rock e algumas músicas terão uma pitada de country. A previsão de lançamento é entre o fim de 2007 e meados de 2008.






video